Personal Estetic Leonardo Paiva

O diferencial do nosso trabalho é o atendimento especializado com comprometimento e resultado.

Atendimento VIP

Saiba porque você também deve ser um cliente amigo do Personal Estetic, quais são os benefícios e o diferencial na execução dos tratamentos.

Tratamentos Especializados

Dentre os diversos tratamentos realizados pelo Peronal Estetic, o Terapêuta Leonardo Paiva, destacamos atendimento a gestante, idosos, pós-operatório cirurgico e spa day.

AGENDAMENTO ONLINE

Atendimento realizado todos os dias da semana (inclusive sábado, domingo e feriado) para melhor comodidade do amigos clientes do PERSONAL ESTETIC Leonardo Paiva. CONFIRA AGENDA SEMANAL E MARQUE SUA CONSULTA ONLINE !

REVISTA ONLINE PERSONAL ESTETIC - SAÚDE E ESTÉTICA

Mais uma novidade ousada do Personal Estetic, um Boletim enviado a cada 2 semanas, atualizando você das novidades em Saúde e Estética, interamente GRÁTIS por email. FAÇA JÁ SEU CADASTRO E RECEBA SUA REVISTA ELETRÔNICA!

CONFIRA NOSSAS PROMOÇÕES

O serviço especializado, que qualquer pessoa pode ter acesso, estaremos sempre atualizando promoções, sorteios, pacotes promocionais, promoções relâmpago, etc. CONFIRA ESSA DICA!

PAGAMENTO ONLINE

Disponibilizamos PAGAMENTO ONLINE neste site pelo Mercado Pago Seguro para os tratamentos desejados, com todos os cartões de crédito EM ATÉ 12X (realizando 1 sessão ou pacotes) e no boleto bancário. MARQUE JÁ SUA SESSÃO!

sábado, 9 de março de 2013

EFEITOS DO ÁLCOOL A LONGO PRAZO

O álcool é uma substância nociva ao nosso organismo. E hoje, vamos dedicar um capítulo novo para saber os efeitos do álcool a longo prazo. Mas, é sempre melhor prevenir do que remediar.

O consumo de álcool é um problema cada dia mais social, envolvendo os jovens, e pior, cada vez mais em idades menores. Na verdade, os jovens não estão plenamente conscientes dos riscos envolvidos e sim encaram como uma coisa normal, mas não é. O álcool tem riscos e podem ser ainda maiores em longo prazo. Consumir em excesso pode causar problemas sociais, familiares e até mesmo no trabalho.

Deve ser dito que os efeitos a longo prazo do consumo de álcool podem ocorrer em pessoas que não são dependentes do álcool. Este aspecto é importante a considerar. Os efeitos crônicos são variados, como a pressão arterial elevada, gastrite ou uma úlcera gastroduodenal e a cirrose hepática.

Além disso, os efeitos do álcool levam a doenças do coração e distúrbios do sono, depressão, perturbações cognitivas ou encefalopatia.

Mas isso não é tudo. Uma das doenças mais perigosas que podem sofrer é o câncer. Agressividade também é um distúrbio muito comum entre os abusadores de álcool, para não mencionar a disfunção sexual e disfunção cognitiva.

Finalmente, note que os efeitos a longo prazo de álcool ou o alcoolismo podem causar demência e psicose em alguns casos e falta de controle. Espero que com esses conhecimentos você pense bem a cada bebida que tomar.

Fonte: Hospital João XXIII

A INFLUÊNCIA DA MÚSICA NA ATIVIDADE FÍSICA


A MÚSICA INFLUENCIA O DESEMPENHO DO SEU TREINO

Estudo publicado recentemente na Revista Brasileira de Psicologia e Esporte aponta que a música tem influência positiva na prática de atividades físicas, principalmente em atividades cíclicas como caminhadas, corrida e ciclismo.

De acordo com o artigo, a música facilita a motivação, afasta o tédio e a ansiedade, e torna a atividade física mais prazerosa. Um fator que colabora com um treino mais produtivo é a escolha das músicas que serão ouvidas durante o exercício.
A música tem o poder de distrair a atenção do atleta dos estímulos não prazerosos como fadiga, dores e cansaço, agindo como competidor a eles e reduzindo os marcadores neuro-hormonais de estresse. Como consequência, a percepção da capacidade física estará aumentada e a intensidade de execução será maior, aumentando assim o desempenho no treino.

Escolhendo a playlist

Um fator a se pensar ao montar uma playlist é a escolha de músicas que agradem o atleta e, de preferência, que acompanhem a intensidade, o objetivo e o perfil da atividade. Ela interferirá no rendimento, na motivação e na frequência cardíaca.

O estudo aponta, inclusive, que a música tem influencia direta na frequência cardíaca atingida durante a atividade física. Músicas com batidas mais rápidas, por exemplo, ajudam a atingir a frequência cardíaca ideal durante uma corrida. Já as atividades de relaxamento e alongamento exigem músicas mais lentas, uma vez que facilitam a recuperação da frequência cardíaca para a média de repouso.

Cuidados devem ser tomados em exercícios como musculação, em que a frequência cardíaca atingida durante a execução dos movimentos não é muito elevada. Sincronizar o movimento articular do exercício com a velocidade da música não é tão fácil, já que os movimentos, dependendo da intensidade, dificilmente são rápidos. Entretanto, escolher músicas com batidas mais rápidas facilitará no aumento da intensidade e no papel motivador durante a prática do exercício físico.

Agora que os benefícios da música durante a prática de uma atividade física são conhecidos, monte sua playlist de acordo com a atividade de sua preferência e movimente-se!

Mas anote uma dica importante: o equipamento sonoro eletrônico (com fones de ouvido) não deve ultrapassar um volume de intensidade média (inferior ao ruído ambiente), e nem o período máximo de 1 hora por dia.

Fontes: Márcio Marega, fisioterapeuta e Carla Giuliano de Sá Pinto, educadora física
Publicado em junho de 2012

DICA DE SUPLEMENTAÇÃO: ANTES , DURANTE E APÓS O TREINO


DICAS PARA SUA SUPLEMENTAÇÃO, O QUE TOMAR ANTES, DURANTE E APÓS O EXERCÍCIO


Nessa semana surgiram algumas dúvidas sobre a utilização de suplementação. Então vamos la para algumas orientações lembrando que as dosagens deverão ser ajustadas individualmente E QUE ISSO É APENAS UM EXEMPLO.
-----------------------------------------------------------------------------
PRÉ-TREINO (as dosagens deverão ser ajustadas individualmente. Isso é apenas um exemplo):

Nível iniciante > 15 minutos antes: 30 gramas de maltodextrina.

Nível Intermediário > 40 minutos antes: 5 gramas de Arginina AKG
15 minutos antes: 30 gramas de waxy maize + 15 gramas de whey protein isolado + 3 gramas de BCAAS + 5 gramas de glutamina.

Nível Avançado > 40 minutos antes: 5 gramas de Arginina AKG + 5 gramas de citrulina + 3 gramas de Beta-alanina + 3000 mg de L-carnitina.
Logo antes: 30 gramas de waxy maize + 30 gramas de whey protein isolado/hidrolisado + 5 gramas de BCAAS + 10 gramas de glutamina + 5 gramas de ribose.
-----------------------------------------------------------------------------
INTRA TREINO (as dosagens deverão ser ajustadas individualmente. Isso é apenas um exemplo):

Nível iniciante > Apenas água.

Nível Intermediário > 5 gramas de BCAAS em pó.

Nível Avançado > 45 gramas de repositor energético por hora de exercício.
-----------------------------------------------------------------------------
PÓS TREINO (as dosagens deverão ser ajustadas individualmente. Isso é apenas um exemplo):

Nível iniciante > 30 gramas de whey protein concentrado + 30 gramas de dextrose.

Nível Intermediário > 40 gramas de whey protein isolado + 50 gramas de waxy maize + 3 gramas de BCAAS + 5 gramas de glutamina + 5 gramas de creatina.

Nível Avançado > 30 gramas de whey protein isolado/hidrolisado + 15 gramas de caseína + 60 gramas de waxy maize + 5 gramas de creatina + 5 gramas de BCAAS + 10 gramas de glutamina.

OBS: USE SEMPRE ÁGUA PARA DISSOLVER OS PRODUTOS 

Fonte: Nutricionista rodolfo peres

ANABOLIZANTES, FALSA SENSAÇÃO DE SAÚDE


Aumento de massa muscular, diminuição de gordura, ganho de força e maior disposição para as tarefas do dia a dia. Os efeitos da suplementação de hormônios anabolizantes são um apelo irresistível para homens e mulheres que sonham com um corpo perfeito e para quem deseja retardar as consequências da passagem do tempo. Mas se é fato que em curto prazo pode haver melhora na estética e na energia de seus usuários, a médio e longo prazo o uso indiscriminado de hormônios anabolizantes sintéticos pode trazer graves problemas de saúde.

Os hormônios anabolizantes são produzidos pelo corpo e têm a função de promover a incorporação de nutrientes às células. Os principais são a insulina, produzida pelas células beta do pâncreas; o hormônio do crescimento, produzido pela hipófise, e os hormônios sexuais (testosterona, estrógeno e progesterona), produzidos pelas gônadas.

A produção de cada um deles varia de acordo com a idade. O hormônio do crescimento, por exemplo, tem seu auge no início da adolescência, enquanto os derivados da testosterona apresentam seu pico na fase adulta. A queda na produção dos hormônios anabolizantes ocorre gradativamente com o avanço da idade. É um processo natural, que desencadeia alterações físicas e emocionais. Mas, ainda que em menor quantidade, todos eles continuam a ser secretados até o fim da vida.

"Não existe motivo para suplementar nenhum tipo de hormônio anabolizante em indivíduos saudáveis", diz o Dr. Paulo Rosenbaum, endocrinologista do Einstein. A indicação só é feita após avaliação médica e em situações específicas, como nos casos de deficiência na produção ou recepção desses hormônios. Diabéticos devem receber suplementação de insulina, assim como os portadores de hipogonadismo, a baixa produção de hormônios sexuais, resultante, entre outros fatores, da remoção dos testículos e ovários. Outras indicações para a suplementação hormonal visam à recuperação de pacientes portadores de longas enfermidades ou que permanecem acamados por muito tempo e que, consequentemente, perdem massa muscular e óssea, além de sofrerem com a redução de libido e de energia.

O tratamento é feito apenas após a realização de exames laboratoriais de dosagem hormonal. "A reposição deve ser fisiológica, ou seja, em doses suficientes apenas para fazer com que os níveis dos hormônios voltem à normalidade", explica o Dr. Ricardo Botticini Peres, endocrinologista do Einstein.

A produção de hormônios anabolizantes sintéticos começou há mais de 50 anos e ganhou grande impulso nos últimos 25, sendo que até hoje a apresentação injetável ainda é a predominante.

Perigo à vista

Ao promover o ganho de massa muscular e óssea, associado à maior força, disposição e libido, os hormônios anabolizantes começaram a ser vistos como uma alternativa aos esportistas e praticantes de atividades físicas para a melhoria do desempenho. Para essa finalidade, são utilizados principalmente os hormônios sintéticos derivados da testosterona: nandrolona, estanozolol, androstenediona, dehidroepiandrosterona, oxandrolona, oximetolona, dihidrotestosterona e metiltestosterona.

Paralelamente, ampliou-se sua utilização para fins estéticos, especialmente por frequentadores de academia de ginástica e pessoas empenhadas em retardar ou reverter sinais e sintomas do envelhecimento. "Não existe nenhuma comprovação científica de que a suplementação hormonal promova essa reversão. Os efeitos supostamente positivos observados no curto prazo podem se transformar em graves problemas no médio e longo", destaca o Dr. Paulo Rosenbaum.

Hoje, os perigos potenciais do uso indiscriminado fazem com que a suplementação de hormônios anabolizantes para fins estéticos seja totalmente contraindicada. O Conselho Federal de Medicina proíbe a medicina antienvelhecimento e normatiza a reposição hormonal. Em esportes profissionais, a prática é proibida e pode levar seu usuário a ser permanentemente banido das competições da sua modalidade. No Brasil, não há estimativas sobre seu uso ilícito, mas segundo informações da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, sabe-se que o usuário preferencial tem entre 18 a 34 anos e, em geral, é do sexo masculino.

Dezenas de produtos entram ilegalmente no País e são vendidos em academias e farmácias. Muitas das substâncias são falsificadas e acondicionadas em ampolas não esterilizadas, ou misturadas a outras drogas, a custos elevados (uma única dose pode custar R$ 1 mil). Como a aplicação é injetável e feita pelos próprios usuários ou pessoas sem qualificação, há ainda o risco de provocar doenças transmissíveis devido à contaminação de agulhas.

Onde mora o perigo

O uso indiscriminado de anabolizantes pode provocar nas mulheres o surgimento de características masculinas, como engrossamento da voz e aumento de pelos no corpo. Nos homens, pode ocasionar diminuição no tamanho dos testículos e infertilidade. Nos dois sexos, é comum a ocorrência de distúrbios de comportamento, com aumento de agressividade.

Estudos científicos sobre a relação entre doenças mais graves e uso indiscriminado de anabolizantes são praticamente inexistentes, pois a grande maioria dos usuários não admite a utilização, que quase sempre vem acompanhada de outras drogas, o que torna difícil estabelecer a causa exata do problema.

Mas em todo o mundo há relatos e evidências de que os hormônios anabolizantes podem provocar o crescimento de tumores, especialmente no fígado, intestino e pulmões, além de provocar disfunção ventricular e hipertrofia cardíaca – esta última responsável por cardiopatias que podem levar à morte súbita. "Os hormônios anabolizantes promovem a nutrição das células. Ao serem suplementados sem necessidade, provocam o desenvolvimento anormal das células, aumentando a probabilidade de crescimento de tumores, de órgãos e estruturas do corpo humano", explica o Dr. Ricardo Peres.

Alimentação saudável, boa qualidade de sono e a prática regular de atividade física ainda são considerados os melhores estimulantes para a saúde do corpo e da mente em qualquer idade. Artifícios que apontam os anabolizantes como terapia antienvelhecimento podem acabar cumprindo o que prometem de um jeito indesejável: seus usuários poderão não viver o suficiente para chegar à velhice.

Fonte: http://www.einstein.br/ Publicado em 24/01/2013

DICA DE SUPLEMENTAÇÃO: WHEY PROTEIN


O que é Whey Protein?
O whey é encontrado naturalmente na proteína do leite, sendo que aproximadamente 20% da proteína do leite é whey. É uma proteína de alto valor biológico, completa, e de rápida absorção pelo organismo. É um dos suplementos mais utilizados hoje no mundo todo, sendo utilizado principalmente por quem quer aumentar a massa muscular, pois entre outras propriedades, ele ajuda a aumentar a síntese protéica do corpo. Possui, entre seus aminoácidos, uma grande quantidade de BCAAs e de glutamina.



Ele é uma mistura de proteínas com diferentes propriedades biológicas. Além de seu valor para aumento de massa muscular, vários estudos mostram que ele possui diversos benfícios para a saúde, entre eles: redução da pressão sanguínea, fortalecimento do sistema imunológico (devido às imunoglobulinas presentes no whey e ao aumento do GSH), redução do stress e do cortisol, aumento do nível de serotonina no cérebro, melhora da função do fígado, entre outras.
Pesquisas mostram que o whey aumenta a concentração de glutationa no corpo (GSH). O GSH é provavelmente o antioxidante solúvel em água mais importante de nosso corpo. Sabe-se que le é essencial para a imunidade, estresse oxidativo, bem-estar geral, e níveis reduzidos de GSH estão associados com várias doenças.


Também é importante lembrar que o whey possui diversas subfrações de proteínas, como: beta-lactoglobulina (cerca de 50%), alpha-lactoalbumina (cerca de 25%), imunoglobulinas, BSA, glicomacropeptídeos, lactoferrina, entre outras, todas com propriedades biológicas únicas. Como já foi dito, as imunoglobulinas, por exemplo, melhoram o sistema imunológico, e a lactoferrina também melhora o sistema imunológico e bem-estar geral.



Já foram feitos muitos estudos que comprovam a eficácia do whey protein em aumentar performance e ganho de massa muscular. Como alguns exemplos podemos citar: Tipton em 2004 mostrou que um shake pós-treino com whey, carboidratos e aminoácidos estimulam a síntese de proteína mais do que carboidratos sozinhos, Burke em 2001 demonstrou que o consumo de whey protein estava associado a ganho de massa magra e aumento de performance. Chromiak em 2004 demonstrou que um shake pós treino contendo whey protein, aminoácidos, creatina e carboidrato levaram a maiores ganhos em massa magra do que carboidratos sozinhos.

Tipos de Whey Protein
Whey Protein Concentrado (WPC): WPCs de boa qualidade contém geralmente cerca de 70% a 80% de proteína, com pequenas quantidades de lactose, gordura e colesterol. O processo de filtragem do WPC não é tão avançado como do Whey Protein Isolado (WPI), e sua velocidade de absorção é mais lenta em comparação à do WPI. Seu custo de fabriação é mais barato.
Whey Protein Isolado (WPI): WPIs geralmente contém de 90% a 96% de proteína, praticamente nada de lactose e de gordura. Porém, como são mais processados, os fabricantes devem tomar um cuidado especial e empregar um processo de alta qualidade, baixa temperatura e baixa acidez para que não haja desnaturação parcial ou completa das proteínas, fazendo com que o whey perca suas propriedades biológicas. Sua velocidade de absorção é maior que a do WPC, e seu custo de fabricação é mais caro.



A maioria dos wheys no mercado são uma mistura (blend) de WPC com WPI. Via de regra você não vai precisar comprar um whey que seja somente WPI, a não ser que você seja intolerante a lactose, ou seja um atleta / fisiculturista de ponta. Mas se você tiver recursos, é interessante investir num WPI. Para saber se o seu whey é apenas WPC, WPI ou uma mistura dos dois, basta ler o rótulo do produto. É interessante notar também que alguns produtos possuem mais WPC do que WPI, e outros mais WPI do que WPC. Se na lista de ingredientes aparecer primeiro WPC e depois WPI, quer dizer que a concentração de WPC é maior, e vice-versa.

Tipos de Processamento



Existem diversos tipos de processamento do Whey Protein. Escreveremos aqui sobre os principais.
Ultrafiltration (UF): Nesse método, é utilizada uma técnica de ultra filtragem a baixa temperatura que permite a retenção das importantes subfrações do whey, sem desnaturação das proteínas, e diminução da lactose e gorduras. O processo é natural e sem aditivos químicos e utiliza filtros de cerâmica de alta tecnologia. O processamento de whey nesse método resulta geralmente em WPC.



Cross-Flow Micro Filtration (CFM): Esse método é muito similar ao UF, porém as membranas utilizadas no filtro são cerca de 4 vezes menores, o que permite uma maior filtragem e portanto maior porcentagem de proteína, chegando a mais de 90%, e quase total eliminação de lactose e gordura. O processamento de whey nesse método resulta geralmente em WPI.



Ion-Exchange: Nesse método, faz-se o WPC correr através do que é chamado de uma coluna "ion-exchange", onde as proteínas são seletivamente unidas, baseadas em sua carga, enquanto outros componentes são removidos. Apesar de haver muito marketing das marcas sobre esse tipo de filtragem, ele possui problemas. O principal é que muitas das subfrações do whey são quase ou totalmente eliminadas, fazendo que o whey perca parte de suas propriedades biológicas. Outro ponto fraco é que esse processo utiliza aditivos químicos em seu processamento, como ácido hidroclorídrico e hidróxido de sódio. Portanto, dê preferência a produtos que não utilizem esse método ou onde só uma pequena parte do seu whey use esse método. O processamento do whey nesse método resulta em WPI.



Hidrolização: Nesse método, geralmente usa-se um processo de quebra através de enzimas para quebrar os peptídeos do WPI em cadeias menores de aminoácidos, o que facilita sua absorção e também aumenta a velocidade de absorção. É um processo de alta qualidade, porém seu custo é mais alto, e geralmente o gosto do produto resultante não é dos melhores.

Como usar Whey Protein
Por ser uma proteína de rápida absorção, o horário mais indicado para usar é logo após do treino, geralmente com uma fonte de carboidrato de rápida absorção. A quantidade dependerá da quantidade de proteína por porção e do seu peso, mas geralmente fica entre 30g e 60g de whey. Se você tiver recursos suficientes, é interessante também usar logo de manhã ao acordar, pois proteínas pela manhã ajudam a "ligar" o seu organismo e auxiliar na queima de gordura (porém não faça do seu café da manhã apenas whey protein, faça uma refeição completa e saudável). Outro bom horário para tomar seria alguns minutos antes do treino.

Whey Protein Natural
Se você já comprou Whey Protein, deve ter percebido que existem no mercado wheys que trazem no rótulo "100% natural" ou "All Natural". A principal diferença desses wheys em relação aos comuns é que eles não utilizam adoçantes artificiais, como aspartame, acesulfame-k e sucralose. Utilizam apenas stevia, que é um adoçante natural e não trás riscos para a saúde (para saber mais sobre os adoçantes leia aqui). Apesar do gosto desses wheys geralmente não ser tão bom quanto o dos tradicionais, é uma escolha muito interessante, pois você não estará ingerindo diariamente adoçantes artificiais que fazem mal ao seu organismo.

O que observar ao comprar
Você deve observar ao escolher seu whey o percentual de proteína por porção, e o tipo de processamento. Para saber o percentual de proteína por porção, basta dividir a quantidade de proteína por porção pelo tamanho da porção e multiplicar por 100. Por exemplo, se o seu whey possui 25g de proteínas por porção e a porção é de 50g, então ele possui: 25/50 * 100 = 50% de proteína por porção, o que não seria boa escolha. Alguns fabricantes tentam iludir o consumidor trazendo no rótulo trazendo informações do tipo: "50 gramas de proteína por porção!", mas quando você lê o rótulo verifica que a porção é de mais de 100 gramas!



Você também não pode esquecer de observar o processo de fabricação do whey. Dê preferência aos que não utilizem ou pouco utilizem o processamento por Ion-Exchange. E também não esqueça que nada adianta utilizar um whey protein se o seu processo for de baixa qualidade e ele tiver suas proteínas desnaturadas, portanto sempre escolha uma marca confíavel ao comprar seu whey.



Como sugestões de compra, existe o excelente 100% Whey Gold Standard da Optimum, que é um blend de WPI+WPC; o High Quality Whey Protein da Scivation, que é um blend de WPC+WPI; e o 100% Whey Protein Fuel da Twinlab, que é um blend de WPC+WPI.
Se você preferir os wheys naturais, uma das melhores opções é o 100% All Natural Whey Protein da MRM, que é um blend WPC+WPI, que utiliza processo de Ultrafiltration para o WPC e Cross-Flow Microfiltration para o WPI. Outra boa opção é o 100% Natural Whey Protein da Jarrows, que é um WPC que utiliza o processo de Ultrafiltration e o whey é de vacas tratadas sem hormônio de crescimento. Caso prefira um whey isolado, a MRM possui uma ótima opção com o seu Isolate Whey Protein.


ACNE ADULTA


A acne adulta é aquela que ocorre após os 20 anos de idade. Ela pode persistir desde a adolescência até a vida adulta ou pode aparecer subitamente nesta faixa etária. É observada de 54% das mulheres e 40% dos homens. Dentre os fatores que contribuem para o seu surgimento, podemos citar as alterações hormonais, uso de cosméticos, determinados medicamentos, tipo de trabalho, além da genética.
As pessoas que tiveram acne durante a adolescência são mais propensas a ter acne na fase adulta e neste caso chama-se de acne persistente. Neste tipo de acne há predomínio de lesões inflamatórias (aquelas vermelhas) e estas são as responsáveis pelas cicatrizes e manchas escuras.

O tratamento pode ser por via tópica ou oral. Este tratamento é diferente daquele visto em adolescentes, pois neste caso a pele tende a ser um pouco mais seca e sensível. Podem ser utilizados antibióticos orais, isotretinoina oral, terapia hormonal, isto é, usamos medicamentos que irão bloquear a ação dos androgênios (são hormônios que estimulam a produção de sebo). Para uso tópico, podemos usar sabonetes específicos, produtos a base de peróxido de benzóila, ácido retinóico, ácido salicílico e antibióticos tópicos. É RECOMENDADO TAMBÉM LIMPEZA DE PELE PROFUNDA A CADA 40 DIAS APROXIMADAMENTE DEPENDENDO DA AVALIAÇÃO DA PELE.

A higiene da pele deve remover as crostas, o suor e o excesso de gordura sem irritar ou ressecar. Ela deve ser feita 2 vezes ao dia (manhã e noite). O excesso de lavagens gera um efeito rebote, ou seja, a pele mais ressecada irá produzir mais óleo para tentar compensar o ressecamento.

A escolha inadequada de determinados produtos de beleza pode piorar o quadro de acne, pois produtos muito oleosos irão ocluir a pele e provocar a formação de “cravos” e induzir uma reação inflamatória por produtos químicos que podem irritar as glândulas sebáceas. Neste caso, chamamos de “acne cosmética”. Ao comprar produtos de beleza e maquiagens, devemos observar em seu rótulo as seguintes palavras: r “oil-free”ou não comedogênico ou gel ou gel-creme.

O estresse também pode gerar aumento da oleosidade da pele e, com isso, induzir o aparecimento de acne. Isto ocorre, pois as nossas glândulas sebáceas possuem receptores para neurotransmissores (são substâncias liberadas pelo nosso organismo em situações de estresse).

Logo, em situações de estresse, por haver um aumento na liberação destas substâncias, haverá uma estímulo dessas glândulas que produzirão maior quantidade de lipídeos sebáceos (aumento da oleosidade), favorecendo a obstrução dos poros e criando um terreno favorável ao crescimento do Propionibacterium acnes que ocasionará a acne.

Em relação à alimentação, os estudos tem mostrado que o leite é um alimento que pode piorar a acne, pois nele há moléculas bioativas (incluindo andrógenos e outros hormônios esteroides) e também por ele promover aumento dos níveis plasmáticos de IGF-1. Isso tudo, favorece o surgimento de acne, não só a adulta, mas todos os tipos.

ENTENDENDO MELHOR AS ESTRIAS


ENTENDA MELHOR AS ESTRIAS E CONHEÇA OS TRATAMENTOS PARA ESSE MAL

Estrias são cicatrizes que ocorrem na pele, principalmente na adolescência e na gravidez. Existe na proporção de quatro mulheres para um homem, e neles as regiões de maior incidência são as faces externas das coxas e a região lombo-sacra ( ¨estrias de crescimento¨ ). Nas mulheres, as estrias são mais frequentes na face interna e externa das costas, nádegas e mamas.
No início, as estrias podem aparecer avermelhadas ou arroxeadas. Com o tempo, vão se tornando esbranquiçadas e menos evidentes.

Estudos recentes apontam a importância dos hormônios (aumento da secreção de cortisol) como causa preponderamente no aparecimento de estrias. Adolescentes grávidas têm mais estrias que as mulheres mais velhas, considerando o mesmo ganho de peso. Esse fato reforça o envolvimento hormonal como causa preponderante no aparecimento das estrias. Sendo assim, o período da puberdade e o da gravidez são os de maior aparecimento das mamas.

Outras causas que provocam o aparecimento das estrias são: distensões abruptas ou progressivas de uma determinada região do corpo, como, por exemplo, o braço de halterofilistas e o uso de medicações (corticoides) por via oral ou tópica.

Medidas preventivas como controle de peso com dietas balanceadas e exercícios regulares sem exageros são muito importantes para quem tem propensão a estrias.

TRATAMENTO:

Não existe tratamento integralmente eficaz para estrias até o momento. Porém, é possível amenizar o aspecto inestético por meio de diversos tipos de tratamentos. Dentre eles, destacam-se:

- Ácido retinóico: receitado somente pelo médico e utilizado nas concentrações entre 0,1% a 0,5%, à noite, para estimular as fibras de colágeno. O uso domiciliar de (ácido retinóico ou glicóico) deve ser feito sempre à noite, recomendando-se o uso de hidratantes potentes durante o dia.

- Laser: luz que tem afinidade pelo pigmento vermelho, clareando a estria e produzindo melhora sgnificativa, principalmente no caso de estrias recentes arroxeadas.

- Subcisão: procedimento em que se utiliza agulha, provocando movimentos de raspagens sob a estria, indicado para estrias largas e atróficas, proporcionando bons resultados.

- Dermobrasão: consiste na esfoliação superficial da estria, com auxilio de uma lixa de diamante acoplada a um pequeno motor, como o conhecido PEELING DE DIAMANTE.

- Intradermoterapia: injeções superficiais no trajeto das estrias, com a utilização de substâncias que promovem estímulo ao colágeno, como a vitamina C, silício, cobre, entre outros.

-óPeeling superficial: esfoliação leve feita com uso de ácidos (como retinóico e o glicólico).
No caso de peles morenas, o cuidado deve ser maior, pois estão mais sujeitas à manchas, sendo contraindicada a exposição solar.

Outro cuidado importante é com a profundidade da pele que se atinge com o tratamento, uma vez que as estrias geralmente estão localizadas em regiões de difícil cicatrização e sujeitas à formação de queloide.

A medicina tem caminhado a passos largos no tratamento das estrias, porém ainda não se pode falar em cura. A orientação correta do médico e cuidados com tratamentos intempestivos são fatores essenciais para obter bons resultados. Algumas medidas profiláticas são importantes para evitar que essa ocorrência aconteça em níveis mais intensos.

STEINER, Denise. Beleza levada a sério. São Paulo: Rideel, 2010.

DICAS PARA PERDER OS CULOTES


Ah, os culotes! Eles nos incomodam, deixam nosso corpo em formato de violoncelo, tiram a bela estética dos nossos quadris, mas, espera aí. Por que eles existem mesmo? Difícil aceitar, mas este inimigo feminino faz parte da genética da mulher.

Os culotes são o acumulo de gordura na cintura, quadril ou na lateral das coxas, em função dos hormônios femininos ou características genéticas. Esse é um dos maiores incômodos femininos. Quando o assunto é um corpo perfeito, os culotesficam fora de cogitação. Entre os tipos de culotes, o que mais aparece e o que mais incomoda é o na região dos quadris e cintura. Ao colocar uma calça mais justa, os culotes marcam ainda mais, podendo até ficar por cima da calça, algo considerado muito feio.
É mole?

De acordo com o fisiologista e personal trainer Givanildo Matias Holanda, o culote é um fator do biotipo da mulher que, por natureza, tem uma característica genóide: “Conforme a mulher cresce, ela tem tendência de ficar em formato de pêra. Isso porque, na maioria dos casos, a grande concentração de gordura se dá no quadril, nas coxas e nos glúteos e a região que pega mais é o culote, na lateral da coxa e do quadril”.

Olha só que diferença: “Os homens neste sentido vão virando uma maçã, criando concentração visceral de gorduras e, por consequência, com maior risco de infarto do que as mulheres”, conta.

Se você ainda não tem culotes em evidência, o personal dá a dica: “Evite engordar, daí a importância do exercício”. Mas mesmo assim o culote pode fazer parte da genética da mulher. Ele explica: “Interessante que, às vezes, a mulher tem a barriga chapada e o rosto fininho, mas o problema tá lá embaixo”.

O que fazer, então?

O trabalho muscular junto da atividade aeróbica vai minimizar estes efeitos. “O culote é constituído por gordura. Então, a partir do momento que a gente diminui a gordura, esse culote também diminui. Junto disso é necessário um aumento, dependendo do perfil, da massa muscular, porque aí está o segredo da definição: baixa gordura e massa muscular.”

Naturalmente tem que ter um bom volume de atividade aeróbica, fazendo trabalhos dos mais diversos possíveis: elíptico, artes marciais, corrida, caminhada, Principalmente praticar muay thai, porque é de alta intensidade e tem muita movimentação de pernas e ajuda a redução de gordura local. Anotou?

Dentro do trabalho muscular nos exercícios, o profissional ensina que temos que priorizar os membros inferiores: “Em especial os músculos que envolvem o culote, que são os abdutores, na lateral da perna”.

Para quem tem tempo e disposição de ir até uma academia, o fisiologista ensina: “Contribui muito o trabalho aeróbico considerável e um que enfatize os membros inferiores. Spinning prioriza esses membros, assim como ginástica localizada nas academias, que trabalha vários grupos musculares junto”.

Fora da academia também existe salvação! O exercício de trabalho com caneleiras fazendo elevação lateral. O profissional disse que para fazer esta atividade basta deitar em um colchonete e abrir e fechar a perna com a caneleira.

Viu como é simples? Basta começar a se mexer com base nessas dicas e combater o inimigo dos quadris: o culote. Está preparada?


MELANCIA , A FRUTA DO VERÃO


A melancia é composta por 95% de água. É ótima para desintoxicação, anti-cancerígena, melhora a visão, limpa os rins pois tem uma boa quantidade de potássio, além de reduzir a pressão sanguínea e a temperatura corporal.

É rica em vitaminas A, C, e complexo B, e sais minerais como o ferro, cálcio e fósforo.

Receita de Suco de Melancia:
Ingredientes:
2 xícara(s) (chá) de melancia
1/2 xícara(s) (chá) de água
Adoçante a gosto

Bata no liquidificador a melancia com a água. Em seguida adoce e sirva gelado.

Fonte: www.buscasaude.com.br

PICOLINATO DE CROMO


Picolinato de cromo é um suplemento dietético, conhecido como a melhor fonte de cromo, que é um mineral essencial para a produção de insulina do corpo.

O que isso tem a ver com emagrecimento? 
Simples, o Picolinato de cromo proporciona o aumento de insulina que melhora o recebimento de glicose, melhora a circulação sanguínea e manutenção dos níveis de açúcar no sangue, com isso há o ganho de energia, a queima de gorduras e construção muscular.

O Picolinato de cromo é especialmente indicado no caso de pessoas que não conseguem emagrecer porque consomem altas quantidades de doces, com o aumento da insulina o Picolinato de cromo ajuda a reduzir esta fissura por doces.

Se o picolinato de cromo for tomado e em conjunto houver a pratica de exercícios físicos, haverá ainda melhores resultados quanto ao ajuste de gorduras e definição muscular, este é um dos motivos pelo qual o picolinato de cromo tem se tornado um suplemento alimentar muito procurado por atletas.

Benefícios do picolinato de cromo
- Mineral 100% puro;
- Ajuda o corpo a usar de forma mais eficaz a insulina;
- Ajuda a manter os níveis normais de glicose (açúcar) no sangue;
- Queima gordura e acelera a perda de peso corporal;
- Essencial no processamento de proteínas (efeito anabólico);
- Reduz os riscos de doenças cardíacas;
- Tipo biologicamente ativo;
- Controle da gordura corporal
- Aumento da definição muscular
- Excelente controlador de insulina
- Auxilia na redução do peso;
- Participa na formação da massa muscular;
- Melhora o funcionamento do organismo;
- Ajuda a levar as proteínas aos lugares onde são necessárias;
- Funciona, com a insulina, no metabolismo do açúcar.

Suplementação com Picolinato de Cromo
Picolinato de cromo é um suplemento dietético que pode ser útil em inibir o apetite e vontades. Adicionalmente, o mesmo tem demonstrado um crescimento no músculo e ajuste da gordura simultaneamente. Se tomado junto com exercícios e como a parte de uma dieta que controla as calorias, os resultados podem ser proeminentes. O Picolinato de Cromo atua potencializando a ação da insulina, que é a responsável pela captação da glicose circulante na corrente sanguínea.

Com uma maior captação dessa glicose circulante, seu organismo tende a repor a mesma para garantir as atividades corporais e as “reservas de energia na musculatura” (glicose no músculo) em forma de glicogênio muscular. Para fazer isso, o Picolinato de Cromo irá utilizar as reservas de gordura corporal, o que acarretará na redução do % de gordura do corpo e ainda reduzirá o catabolismo, favorecendo também o aumento da massa muscular.

O picolinato de cromo é um composto químico que é vendido como suplemento alimentar para prevenir e tratar a deficiência de cromo. Ele é um complexo vermelho brilhante derivado do cromo e ácido picolinato. Pequenas quantidades de cromo são necessárias para utilização da glicose pela insulina, porém sua deficiência é extremamente rara e foi observada apenas em pacientes hospitalizados com dietas de longo prazo.

O cromo auxilia o organismo a utilizar a insulina, um hormônio que transfere o açúcar do sangue (glicose) para as células onde é usado como combustível. Quando existe cromo suficiente, o corpo humano utiliza a insulina de forma eficiente e mantém níveis sanguíneos normais de glicose. Além disso, o cromo ajuda no processamento de proteínas para o aumento de massa muscular e na perda de peso como queimador de gorduras.

Resultados esperados do uso
O picolinato de cromo pode ter muitos resultados benéficos quando suplementado. Ele realça o efeito da insulina no corpo, melhorando o recebimento da glicose, desse modo causando uma melhor circulação do sangue e manutenção dos níveis de açúcar no sangue.

O aumento da gordura corporal prejudica a sensibilidade à insulina, por isso os obesos tem dificuldade em perder peso. Estudos mostram que uma atuação mais otimizada do hormônio insulina acelera a perda de peso em adultos, independente de atividade física. Entretanto, o efeito anabólico/muscular será sentido pelos que praticam exercícios.
A função primária da insulina é regular o metabolismo de açúcar do sangue, lipídios (gordura, colesterol, etc) e proteínas. O Cromo é um co-fator da insulina. A insulina tem um papel fundamental na capacidade de reduzir gordura e formar massa muscular no organismo.

As altas variações nos índices de insulina no sangue, geralmente decorrentes do alto consumo de açúcar refinado e carboidratos levam ao acúmulo de gordura e ao desejo de ingerir mais carboidratos. É o que muitos chamam de “fissura por dôces”.

Então para evitar isso é importante procurar manter os níveis de insulina estabilizados. Alguns cientistas catalogaram o cromo como “o milagre médico dos anos 90″, o uso de suplementos diários desse mineral previne diabetes, queima gordura e acelera a perda de peso. Ele ajuda o organismo a utilizar de forma mais eficaz a insulina e a manter os níveis normais de açúcar (glicose) no sangue. A suplementação de cromo pode impedir a ocorrência de diabete tipo 2 em pessoas com resistência à insulina.

O cromo é um mineral oligoelemento que tem várias apresentações químicas. Em geral, os suplementos contêm picolinato de cromo ou polinicotinato de cromo. Outro tipo de cromo denominado ácido dinicotínico cromo glutationa é encontrado no levedo de cerveja. A ingestão de suplementos pode valer a pena porque muitas pessoas hoje em dia não obtêm cromo suficiente de suas alimentações.


GORDURA ABDOMINAL - INIMIGA DA BOA FORMA


A gordura abdominal (“barriga de chope”) tem relação com os hábitos alimentares?

O volume abdominal é consequência da ingestão de um excesso de calorias ao longo dos anos, e estas calorias podem vir de alimentos e bebidas alcoólicas. De modo geral este acúmulo de gordura vem da ingesta de carboidratos simples, presentes em pães, massas, doces, petiscos como batatas fritas e biscoitinhos, refrigerantes, e principalmente no álcool. Álcool é açúcar – suas moléculas entram na corrente sanguínea sob a forma de glicose.

Se você sentar numa mesa e tomar 1 ou 2 chopes, o prejuízo calórico não é tão grande e chega a ser benéfico de acordo com algumas pesquisas, mas normalmente, numa roda de bar, o consumo se torna descontrolado, chegando facilmente a 8, 10 ou 12 chopes. Cada chope tem aproximadamente de 100 a 120 calorias dependendo do fabricante, o que daria por baixo um consumo de 1000 calorias vazias, ou seja, desprovidas de nutrientes.
Além disso, sempre existem petiscos hipercalóricos para acompanhar as rodadas da loura gelada. Então se pode calcular um consumo de quase 2000 calorias: cem gramas de batata frita (10 unidades) tem cerca de 300 calorias, aipim frito (1 pires) tem 350 cal, e amendoim (1 pires) chega a 600 cal.

A isso se soma o fato do enorme volume ingerido em pouco tempo – cada chope tem 300 ml, e 10 chopes significam três litros! de líquido. Ocorre uma distensão abdominal, e se isso acontece de forma frequente, a consequência é uma perda do tônus muscular local, com agravamento da “barriga de chope”. O detalhe é que a gordura acumulada na região abdominal fica localizada entre os órgãos, a chamada gordura visceral, e representa um grande fator de risco para a saúde dos vasos e do coração.

O álcool pode ser benéfico em quantidades moderadas?

Pesquisas recentes têm mostrado a ocorrência de bioflavanóides com ação antioxidante na bebida alcoólica. Os polifenóis, o resveratrol e alguns taninos têm ação positiva sobre o aparelho cardiovascular, ajudando a manter as artérias flexíveis e limpas do acúmulo de gordura. O vinho tinto é o mais rico nestas substâncias, mas elas também estão presentes na cerveja. A quantidade indicada para se obter o benefício destes fitonutrientes é 1 copo de cerveja ou 1 taça de vinho com a refeição.

Existe algum alimento que ajuda a queimar essa gordura abdominal?

A gordura branca se acumula no corpo, principalmente no abdômen e vísceras. Ela tem funções fisiológicas como insulação (manutenção da temperatura corporal) e depósito de energia para uso futuro. Existe também uma gordura menos conhecida, a gordura marrom, muito diferente da sua prima branca. Estruturalmente o tecido adiposo marrom é ricamente vascularizado e possui um número extraordinário de mitocôndrias (o que torna a gordura escura, com um tom marrom-avermelhado) enquanto o tecido adiposo branco possui somente um vaso para cada célula e um numero escasso de mitocôndrias (e por isso a gordura é branca). E o que é mitocôndria? Uma pequena estrutura celular que funciona como uma fornalha produtora de energia, e está presente em todas as células existentes em nosso corpo, com exceção dos glóbulos vermelhos.

A gordura marrom é especial porque a sua única finalidade é gerar calor, um fenômeno conhecido como termogênese. No processo de produção de calor há um gasto de calorias, e estas calorias vêm da gordura branca armazenada no corpo. A má notícia é que ela corresponde a apenas 5% do peso corporal do bebê, e vai diminuindo gradualmente com o passar dos anos, até quase desaparecer na terceira idade. Por isso, quanto mais velhos ficamos, maior a dificuldade em se perder peso.

Diversas plantas e ervas têm efeito termogênico, ou seja, aumentam a temperatura corporal e estimulam a produção de gordura marrom, o que leva a uma aceleração do metabolismo e a uma redução da gordura branca acumulada no abdômen. Podemos citar a pimenta vermelha, gengibre, guaraná, mate, laranja amarga, chá verde, café, vinagre de maçã, óleo de coco, mostarda. Vegetais fibrosos, como couve, brócolis, acelga, repolho, agrião e rúcula, também tem ação termogênica, pois fazem o corpo gastar energia durante o processo digestivo. É importante notar que o consumo destes alimentos termogênicos deve ser constante, eles devem fazer parte do cardápio diário para poder haver um efeito palpável sobre a gordura acumulada.

A gordura abdominal tem relação com a síndrome metabólica? O que é isso?

A síndrome metabólica consiste em um conjunto de fatores de risco que aumentam as chances de se desenvolver doenças cardíacas, derrame e diabetes. Ela é caracterizada por acúmulo de gordura abdominal, colesterol e triglicerídeos elevados, hipertensão arterial leve, resistência à insulina e glicose alta.

O consumo excessivo de calorias e carboidratos refinados aumenta muito o risco de obesidade e resistência insulínica. Além disso, dietas ricas em gordura saturada e sal, pobres em frutas, legumes e verduras, e que suprem uma quantidade insuficiente de fibras, vitaminas e minerais, combinadas ao sedentarismo, são os maiores fatores de risco para se desenvolver alterações nas gorduras do sangue (colesterol e triglicerídeos), pressão alta e acúmulo de gordura visceral.

O que fazer então?

Atividade física é essencial. O sedentarismo contribui para o acúmulo de gordura nos lugares errados. Além de escolher os alimentos certos, deve-se prestar atenção no modo de preparar e em alguns hábitos diários relacionados à alimentação:
- beba água, pelo menos 2 litros por dia (chás herbais podem entrar na cota), isto facilita o trabalho dos rins, fígado e intestinos, ajudando a emagrecer e a eliminar toxinas.

- evite gorduras saturadas em excesso, tais como carnes gordurosas e processadas, como salame e mortadela, e qualquer tipo de fritura, pois formam elementos oxidantes e aceleram o depósito de colesterol nos vasos sanguíneos.
- inclua no cardápio peixes e frutos do mar, pelo menos 3 vezes por semana, para aumentar a oferta de ômega-3, um ácido graxo essencial que ajuda a desinflamar as células de gordura.

- dê preferência aos alimentos integrais como grãos, cereais e sementes oleaginosas, pois além dos nutrientes eles contem fibras que auxiliam na eliminação de resíduos tóxicos, reduzem as taxas de colesterol e triglicerídeos, e melhoram o funcionamento do intestino.
- diminua a ingestão de bebidas alcoólicas, refrigerantes, açúcar, doces, biscoitos, alimentos enlatados, embutidos ou processados, e cafeína, pois todos contêm substâncias que roubam minerais e vitaminas do seu corpo, contribuem para aumentar o nível de açúcar no sangue e a resistência insulínica, o que se traduz em acúmulo de gordura no abdômen.

- coma mais frutas, verduras e legumes, pobres em calorias e ricos em nutrientes, fibras e antioxidantes, e essenciais em qualquer dieta, pois ajudam a emagrecer, reduzir a gordura visceral e a combater a sindrome metabólica.

- ovos frescos podem e devem ser consumidos três a quatro vezes por semana pois, além de ter somente 80 calorias, fornecem proteína de alto valor biológico, ômega-3, vitamina E, biotina e colina (antioxidantes que ajudam a aumentar o nível de colesterol HDL, o bom colesterol), e como bônus fornecem luteína e zeaxantina (carotenoides que preservam a visão).

- acrescente especiarias e condimentos como canela, orégano, cravo, noz moscada, gengibre, alecrim, pois não possuem calorias, dão sabor aos alimentos, são fonte de inúmeros fitoquímicos e antioxidantes, e auxiliam no controle do açúcar e gorduras do sangue.

- mastigue devagar cada bocado de comida, pelo menos 20 a 30 vezes, para melhor assimilar os nutrientes dos alimentos e para dar tempo ao cérebro de mandar o sinal de saciedade: esta é uma regra de ouro, assim se come menos e se emagrece mais rápido.

Fonte: BuscaSaude

IMPORTÂNCIA DA ESTÉTICA NA GRAVIDEZ


A gestação é um período muito especial em que ocorre a formação de um ser humano.

Nesta fase, a futura mãe, além de estar sensível e apta a modificações psicológicas, sente muitas transformações estruturais em seu corpo.
Durante a gravidez, há um aumento na produção hormonal, responsável por várias modificações estruturais e musculares. Alguns dos hormônios essenciais na gravidez são responsáveis pela tendência de reabsorver sódio causando a retenção de líquido na gestante, principalmente nos e pés e nas pernas.

Neste período, os cuidados resumem-se à: hidratação corporal, drenagem linfática, limpeza de pele e hidratação facial. É importante não dispensar a atividade física. Exercícios, leves ou moderados que não ofereçam risco a gestante, tais como natação caminhada ou ioga são importantes para melhoramento do condicionamento físico, responsáveis, muitas das vezes pelo controle do peso e conforto das tensões musculares.


Cuidados estéticos:

1 – hidratação corporal.
A hidratação da pele do primeiro ao nono mês faz-se necessário para prevenir estrias, pois elas são outro sintoma comum neste período. O rompimento das fibras implica no estiramento da pele. Tal problema é mais evidenciado nas partes que mais aumentam, abdome, coxas e mamas, em decorrência do crescimento do bebê. Nessas regiões é aconselhável usar hidratante após o banho para evitar o aparecimento das estrias ou um creme antiestrias.

2- Drenagem linfática.
É o tratamento estético mais indicado para a gestante, a partir do terceiro mês de gestação. Trata-se de uma massagem suave e lenta, que além de oferecer um relaxamento saudável à gestante, estimula a circulação venosa e linfática que resulta na redução da retenção de líquido, abrandando os inchaços típicos da gravidez, além de estimular a lactação das mamas, preparando-as para o aleitamento, previne e combate às varizes, à celulite e às estrias, alivia tensões e reduz dores musculares, assim como de outros fatores, ou seja, mudanças hormonais, resultando enxaqueca, insônia e constipação intestinal.
É importante ressaltar e alertar que a drenagem linfática não só é recomendada para grávidas com hipertensão não controlada, insuficiência renal, trombose venosa profunda, infecções de pele e erupções cutâneas, como também sua má execução pode estimular as contrações uterinas e causar até a precipitação do parto a partir do sexto mês de gestação. Podendo também comprometer a circulação e causar hematomas.

3- Limpeza de pele e hidratação facial.
A renovação celular originada pela exfoliação beneficia a hidratação da pele. No rosto, ela auxilia na supressão daquelas manchas características da gravidez.Porém, os cosméticos usados devem provocar uma ação suave e não a descamação da pele. Quanto à exfoliação corporal suave também traz excelentes benefícios para essa fase, ativando a circulação, permitindo a pele mais macia. Ela também é recomendada para permitir a pele dos mamilos mais espessa e resistente para o momento do aleitamento, precavendo rachaduras.

Fonte: BuscaSaude